• Carla

UMA AULA DE CIDADANIA POR DIA, NEM SABE O BEM QUE LHE FAZIA!

A PETA americana desenvolveu há cerca de dois anos uma campanha contra os provérbios com referências a animais. Na altura pareceu-me uma ideia engraçada, mas mesmo nada relevante. Na verdade, a mim faz-me mais confusão a parvoíce de dizermos que uma maçã por dia é que nos faz falta.


Vejamos: de que vale comer maçãs todos os dias (ou quinoa, chia, sementes de linhaça, coisas sem glúten, eu sei lá!), e ficarmos de consciência tranquila, "conectados com a natureza", e cheios de maçãs no bucho, se por outro lado damos cabo da nossa saúde e da dos outros, simplesmente porque somos maus cidadãos? A este propósito, por mim, os manifestos que andam por aí deveriam existir, sim, mas a favor da obrigatoriedade de haver uma aula da disciplina de Cidadania e Desenvolvimento diária. Não para se extinguir a disciplina. E para toda a gente, não só para as criancinhas!


Segundo o Ministério da Educação, no enquadramento desta disciplina, podemos ler: "A relação entre o indivíduo e o mundo que o rodeia, construída numa dinâmica constante com os espaços físico, social, histórico e cultural, coloca à escola o desafio de assegurar a preparação dos alunos para as múltiplas exigências da sociedade contemporânea." Considero isto errado: o desafio não é da escola. O desafio não é dos professores. O desafio é de todos, para todos, e tem que vir de cada um de nós. Dos que escarram na rua para os outros pisarem (será que o fazem em casa?) Dos que espezinham os sentimentos dos outros porque são egoístas (será que têm coração?) Dos que enriquecem corruptamente só porque se julgam mais espertos (Será que têm decência?) Dos que estão cansados da pandemia e precisam de ir ver o mar aos magotes (Será que têm cérebro?)


Mesmo sem ter assistido a nenhuma dessas aulas, nem as ter havido "no meu tempo", e nem sequer ter comido uma maçã nos últimos dias, sei que cansados estão os médicos. Cansados estão os enfermeiros, os auxiliares de saúde, os empregados de limpeza dos hospitais, os que atendem o telefone da linha Saúde 24, os políticos que têm que tomar as grandes decisões, e tantos outros que lidam diretamente com estas "múltiplas exigências da sociedade contemporânea." Cansados estão os grupos de risco com uma espada em cima da cabeça a rezar para que a má sina não lhes entre porta adentro.


Portanto, oxalá houvessem e eu assinaria já toda e qualquer petição, manifesto, abaixo-assinado ou o que fosse, para substituir os tempos de antena dos partidos políticos por uma aulinha diária de Cidadania e Desenvolvimento na TV (em todos os canais, não só no RTP Memória). Repetida várias vezes no intervalo ou mesmo em substituição do Big Brother, das novelas, dos debates políticos, e mesmo de anúncios a medicamentos para as dores do corpo. O que nos deveria doer a todos era a consciência e a falta de civismo de tantos de nós...


Uma aula de cidadania por dia, nem sabe o bem que lhe fazia! E se apetecer comer maçãs também não devem fazer mal.



Photo by Shelley Pauls on Unsplash